52% das mulheres que trabalham no offshore já pensaram em trocar de carreira

Segundo pesquisa do Instituto Ipsos a pedido da Ocyan, 1/3 das mulheres já sofreram assédio físico de colegas, enquanto a maioria passou por algum tipo de constrangimento de fala no trabalho

Que o offshore seja um ambiente de trabalho majoritariamente masculino, não é novidade. Mas pesquisa realizada pelo Instituto Ipsos a pedido da Ocyan joga luz sobre a experiência feminina em alto mar, revelando que metade das mulheres já pensaram em trocar de profissão devido principalmente a questões de gênero, apesar de listarem benefícios como boa…

Se já for assinante, faça seu login

Entrar
Ou
Nosso conteúdo é exclusivo para assinantes, mas
você pode se cadastrar para continuar lendo

e ainda ter acesso a 3 matérias por mês. (apenas para não assinantes)

Cadastre-se aqui


Ou

O assinante da Brasil Energia tem acesso ilimitado a conteúdo exclusivo sobre todo o setor energético
elaborado por jornalistas qualificados e a análises de especialistas do mercado.
Apoie o jornalismo especializado e faça a sua assinatura por menos de R$ 2,70 por dia.

Assine
você pode gostar também