Empresas

A “resiliência de aço” da Tenaris no Brasil

Enquanto se prepara para entregar os pacotes de Bacalhau, Búzios 5 e Mero 3, companhia exportará 88% de sua produção no país até julho de 2023

b


O Brasil não é o mercado mais importante da Tenaris, mas certamente é o mais desafiador. Como a alta produtividade dos poços do pré-sal elimina a necessidade de perfuração intensiva, o volume de negócios é menor. Mas tudo isso é compensado pela capacidade produtiva instalada pela empresa no país, um hub de exportação de produtos e tecnologias para o mercado internacional.

Com duas unidades em operação, localizadas em Pindamonhangaba (SP), a Tenaris possui capacidade de produção nominal de 520 mil toneladas de tubos de aço. No primeiro semestre de 2023, ela entregará os pacotes de produtos, tecnologias e serviços contratados pela Equinor e Petrobras para os campos de Bacalhau e Búzios 5, respectivamente, enquanto o de Mero 3 está previsto para a segunda metade do ano.

Apesar de ter na carteira alguns dos principais projetos do pré-sal, a companhia exportará 88% do que produz no país até julho de 2023. Os principais destinos são a Argentina, Catar e Guiana. Para os dois primeiros, a Tenaris vai exportar tubos e serviços para os gasodutos Nestor Kirchner, que transportará o gás de Vaca Muerta até Buenos Aires, e o North Field Expansion (NFE), que irá expandir a produção de GNL catariano.

Para a Guiana, a Tenaris fornecerá os conectores BlueDock, desenvolvidos para atender o pré-sal. A companhia fechou um contrato global de 10 anos com a ExxonMobil para ofertar o produto, que é fabricado no Brasil – 70% dele é exportado. “Em qualquer lugar onde a Exxon esteja atuando, seja no Brasil, Golfo do México ou Guiana, ela utilizará nossos conectores”, explicou Renato Catallini, presidente da Tenaris no Brasil.

Em julho, a planta Confab Equipamentos deixou de produzir equipamentos industriais para apoiar a fabricação de tubos, hastes de bombeio, conectores soldados, revestimentos e acessórios tubulares da Confab Pindamonhangaba. “Estamos aumentando em 12 vezes o volume de exportação de produtos nessa temporada”, disse o executivo.

Apesar de enxergar um momento favorável pela demanda global por tubos, o presidente da Tenaris não considera necessário expandir a capacidade atual de fabricação, que já foi duplicada e opera a pleno vapor. O que ele observa, no entanto, é o aumento da complexidade dos requisitos tubulares.

Recentemente, a Tenaris desenvolveu novos produtos para o pré-sal, como a tecnologia de revestimento a seco (Dopeless), que elimina a necessidade de graxa nas conexões, e fez investimentos na linha de revestimento térmico, que será utilizada nos projetos da Petrobras e da Equinor no cluster de Santos.

“Nosso foco agora é ampliar a capacidade de produção de conectores’, afirmou.

Já no onshore brasileiro, cuja produção vem aumentando devido a reativação de poços até então abandonados pela Petrobras, a Tenaris conseguiu diversificar sua carteira de clientes. Atualmente, PetroReconcavo, 3R Petroleum, Origem Energia e Karavan são alguns dos seus clientes.

Em busca do “aço verde”

A Tenaris pretende reduzir 30% de suas emissões de CO₂ até 2030 em relação aos níveis registrados em 2018. Para alcançar o objetivo, a companhia está utilizando uma alta proporção de sucata de aço reciclado na composição metálica, aprimorando sua eficiência energética e desenvolvendo tecnologias para utilização de hidrogênio e captura de carbono.

Na Argentina, a empresa está investindo US$ 190 milhões para construir um parque eólico em Adolfo Gonzales Chaves, na província de Buenos Aires, que fornecerá 50% da eletricidade consumida na usina Siderca. Com 24 turbinas, a capacidade instalada de geração será de 509 GWh/ano.

Atualmente, o aço produzido pela Tenaris nas usinas de Dalmine (Itália), Siderca (Argentina), Tamsa (México) e Silcotub (Romênia) tem teor reciclado de 78%. Juntas, essas usinas emitem 1,2 tonelada de CO₂ por tonelada de aço nos escopos 1, 2 e 3. Segundo a World Steel Association, a média do setor é de 1,89 tonelada de CO₂.

No Brasil, a Usiminas, Gerdau e ArcelorMittal são alguns dos fornecedores de aço da Tenaris.


você pode gostar também
Abrir Whatsapp
Precisa de Ajuda?
Olá! posso te ajudar?