Cobertura jornalística da política energética relacionada ao setor de petróleo e gás e de fatos relevantes da indústria e da cadeia produtiva no upstream, escoamento e processamento de petróleo e gás.

O que esperar em janeiro para o setor de óleo e gás

Novo presidente, nova equipe ministerial, novos presidentes de estatais. Veja alguns dos fatos previstos para o mês

O ano enfim terminou e 2019 já inicia com grandes mudanças. Além do início do governo Bolsonaro e sua equipe ministerial, com o Almirante Bento à frente do MME, e Roberto Castello Branco no comando da Petrobras, o mercado também traz algumas notícias. Sendo assim, a BE Petróleo resume abaixo o que esperar de janeiro de 2019.

Novo presidente

O presidente eleito Jair Bolsonaro enfim toma posse nesta terça-feira (1/9) sob um forte esquema de segurança e relatos de restrição ao trabalho dos jornalistas. Embora sempre tenha tido uma visão nacionalista do setor energético, o presidente deu carta branca a Paulo Guedes, que será o superministro da Economia, para definir os rumos da economia, incluindo o setor energético nacional.

Almirante Bento

Na quarta-feira (2/1) será a vez da posse da equipe ministerial de Jair Bolsonaro, que terá o Almirante Bento Leite de Albuquerque Junior no comando do Ministério de Minas e Energia. Ainda pouco se sabe sobre a visão do militar a respeito da continuidade dos leilões, conteúdo local e outros assuntos mais sensíveis do setor de óleo e gás. Possivelmente algumas dessas questões serão distribuídas entre outras pastas. Na área de energia, o Almirante tem uma proximidade com a área nuclear e isso traz especulações sobre uma possível retomada da usina nuclear de Angra 3.

Equipe ministerial

Marisete Dadald foi escolhida como secretária-executiva do MME depois de muitas idas e vindas. Marisete é a atual chefe da Assessoria Econômica do ministério e vista com braço direito do atual ministro Moreira Franco. Vinha atuando com bastante força nos bastidores do setor, o que pode indicar uma continuidade do trabalho da atual gestão, iniciada com Fernando Bezerra Coelho Filho e finalizada com Moreira Franco.

Novo presidente da Petrobras

Roberto Castello Branco toma posse na quinta-feira (3/1), evento cercado de muitas expectativas e que deve ser bastante concorrido.Fica também a expectativa pela indicação dos diretores da Petrobras que vão substituir Jorge Celestino e Nelson Silva, que deixam suas áreas a partir de 1º de janeiro. Além disso, é dado como certo que Castello Branco fará outras mudanças no corpo diretor da empresa, o que deixa os cargos de Solange Guedes, Hugo Repsold e Eberaldo de Almeida Neto sob a atenção do mercado. Rafael Grisolia e Rafael Mendes também integram o cargo diretor.

O economista Roberto Castello Branco, indicado para presidente da Petrobras, no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), em Brasília, onde funciona o gabinete do governo de transição.

Sondas do BM-S-11 e pool

Está prevista para janeiro as datas de entrega das propostas das licitações para o afretamento de duas sondas. Uma delas com capacidade de 2,4 mil m destinada ao BM-S-11, na Bacia de Santos. A outra para operação no chamado pool, com capacidade para operar em lâmina d´água de 2 mil m. Respectivamente, 14 de janeiro e 21 de janeiro são as novas datas.

FPSO Parque das Baleias e Marlim

Também estão previstas para janeiro as datas de entrega das propostas das licitações para o afretamento de dois FPSOs para o campo de Marlim e de um FPSO para o projeto do Parque das Baleias ambos na Bacia de Campos.

FPSO P-58

Controvérsia no Parque das Baleias

Ao longo de janeiro acontecerá, o mercado poderá dar sugestões para resolver a controvérsia entre a Petrobras, ANP e o governo referente ao recolhimento de participação especial das áreas que foram o Parque das Baleias, na Bacia de Campos – Baleia Anã, Baleia Azul, Baleia Franca, Cachalote, Caxaréu, Mangangá, Pirambu e o Campo de Jubarte. A agência havia determinado, em 2014, que as áreas fossem unificadas ao Campo de Jubarte, mas a Petrobras contestou a decisão, instaurando processo arbitral perante a Câmara de Comércio Internacional.